terça-feira, 1 de julho de 2014

Os distúrbios digestivos e as emoções


Entre as principais doenças psicossomáticas, destacam-se os problemas de estômago e intestinos, além de alterações na vesícula biliar. Os mais comuns são as dores e inflamação no estômago (gastrite) que, quando acompanhadas de falta de apetite e azia, podem sinalizar uma úlcera gástrica. Já o aparelho intestinal costuma ser mais atacado por disenteria, prisão de ventre ou cólon irritável, doença proveniente de contrações musculares fortes e irregulares do intestino. A vesícula funciona mal quando a produção de bílis é alterada ou o seu trajeto é obstruído, em geral por cálculos biliares.
O que podem causar: quando não tratada, a gastrite pode se transformar em úlcera. Diarréias constantes, além de desconforto, afetam a flora intestinal. Cólon irritável causa dores abdominais, acessos de diarréia ou prisão de ventre intermitente. Cálculos e distúrbios biliares provocam dor e podem exigir cirurgia.
Agravantes: alimentos gordurosos, ácidos, condimentos, pesados ou que fermentam. Cigarro e bebida gasosa ou alcoólica, irregularidade no horário das refeições.

Venenos psíquicos: a saúde do estômago pode ficar comprometida por medo, rancor, desconfiança, incerteza prolongada, frustração ou estresse, além da dificuldade de digerir situações novas.


Em geral, é atacada pela “fome emocional” e a dificuldade de expressar a carência afetiva, que reprime a agressividade. Raiva, amargura, depressão, ansiedade e mau-humor podem afetar essa área, mas sobrecarregam diretamente a vesícula biliar. Os intestinos se fragilizam diante do medo, da angústia e agressividade (intestino solto). Tensão, apego exagerado a pessoas, cargos ou bens materiais, facilidade de engolir a raiva, mau-humor provocam intestino preso. Problemas no cólon podem sinalizar depressão ou auto-agressão.
Vítimas prediletas: os preocupados, ansiosos, controladores e estressados; os que engolem desaforos e não metabolizam o excesso de raiva que fica “corroendo” por dentro; os “azedos”, os irritadiços e ciumentos, os amargurados, críticos, teimosos e orgulhosos.
Emoções que curam: nutrição emocional, amor, pureza, clareza de alma, coragem, doçura, alegria, paz e desapego


                                                                                                Fonte: Maria Isabel de Oliveira

                                                                                                Formação em Naturopatia e Cosmobiologia