domingo, 29 de setembro de 2013

        ESTOU EM CONSTRUÇÃO!




Durante a nossa vida causamos transtornos na vida de muitas pessoas, porque somos imperfeitos. 
Nas esquinas da vida, pronunciamos palavras inadequadas, falamos sem necessidade, incomodamos
Nas relações mais próximas, agredimos sem intenção ou intencionalmente. Mas agredimos. 
não respeitamos o tempo do outro, a história do outro. 
Parece que o mundo gira em torno dos nossos desejos e o outro é apenas um detalhe.
E, assim, vamos causando transtornos. 
Esses tantos transtornos mostram que não estamos prontos, mas em construção. 
tijolo a tijolo, o templo da nossa história vai ganhando forma. 
O outro também está em construção e também causa transtornos. 
E, às vezes, um tijolo cai e nos machuca. Outras vezes, é o cal ou o cimento que suja nosso rosto. E quando não é um, é outro. 
E o tempo todo nós temos que nos limpar e cuidar das feridas, assim como os outros que convivem conosco também têm de fazer. 
Os erros dos outros, os meus erros. Os meus erros, os erros dos outros.
Esta é uma conclusão essencial: todas as pessoas erram. 
A partir dessa conclusão, chegamos a uma necessidade humana e cristã: o perdão.
Perdoar é cuidar das feridas e sujeiras. 
É compreender que os transtornos são muitas vezes involuntários. 
Que os erros dos outros são semelhantes aos meus erros e que, como caminhantes de uma jornada, é preciso olhar adiante. 
Se nos preocupamos com o que passou, com a poeira, com o tijolo caído, o horizonte deixará de ser contemplado. 
E será um desperdício. O convite que faço é que você experimente a beleza do perdão. 
Deixa leve! Se eu errei, se eu o magoei, se eu o julguei mal, desculpe-me por todos esses transtornos.
Estou em construção!

                                                                                            Fonte:site Ordem Universal dos Seres Estelares


Maria Clara Melotto
&
Jeane Godoy

terça-feira, 24 de setembro de 2013


PERSONALIDADE CONGENITA


Precisamos divulgar no mundo o conceito da Personalidade Congênita, em processo de melhoria gradativa, espalhando enunciados novos que atravessem a zona de raciocínios falíveis do homem e lhe penetrem o coração, restaurando-lhe a esperança no eterno futuro e revigorando-lhe o ser em suas bases essenciais. As noções reencarnacionistas renovarão a paisagem da vida na crosta da Terra, conferindo à criatura não somente as armas com que deve guerrear os estados inferiores de si própria mas também lhe fornecendo o remédio eficiente e salutar... Falta aos nossos companheiros de Humanidade o conhecimento da transitoriedade do corpo físico e o da eternidade da vida, do débito contraído e do resgate necessário, em experiências e recapitulações diversas... Faltam às teorias de Sigmund Freud e seus continuadores a noção dos princípios reencarnacionistas e o conhecimento da verdadeira localização dos distúrbios nervosos, cujo início muito raramente se verifica no campo biológico vulgar mas quase que invariavelmente no corpo perispiritual preexistente, portador de sérias perturbações congênitas, em virtudes das deficiências de natureza moral, cultivadas com desvairado apego, pelo reencarnante, nas existências transcorridas”.


Essa frase inicial – “Precisamos divulgar no mundo o conceito moralizador da Personalidade Congênita.” – é a finalidade da existência da Psicoterapia Reencarnacionista, a sua meta e objetivo.

A evolução espiritual do ser humano é lenta porque, a cada encarnação, temos a sensação ilusória de que estamos vivendo uma “vida” e que tudo que temos de inferior em nossa personalidade e sentimentos foi criado na infância pelos “vilões”. Aliás, devíamos mudar o termo vida para passagem, nascimento para chegada e morte para subida, que são mais reais. E, então, uma das finalidades da Escola de Psicoterapia Reencarnacionista é auxiliar as pessoas a recordarem-se de que somos Espíritos eternos, passando mais uma vez por aqui, que essa vida é apenas mais uma passagem, que descemos do Plano Astral e, um dia, vamos subir para lá de novo. E depois continuaremos a descer e a subir, descer e subir, descer e subir, até ficarmos puros, para o padrão terreno. E então continuaremos nossa trajetória no Plano Astral, depois no Plano Mental, e assim gradativamente, até, um dia, voltarmos para o Todo.
 
 
O trabalho principal do psicoterapeuta reencarnacionista é auxiliar a pessoa em tratamento a recordar-se da busca da evolução espiritual, da purificação. Deve ajudá-la a aproveitar essa atual passagem, a fazer uma releitura de sua infância a partir dos princípios reencarnacionistas, a entender porque nos reencontramos com seres com os quais trazemos conflitos de encarnações passadas, por que necessitamos passar por situações aparentemente negativas, desagradáveis, a Lei do Retorno, etc. Essas descobertas e constatações é o que pretendemos transmitir, e esperamos que nossas reflexões sobre o conflito entre o nosso Eu Real (a Essência) e as ilusões do nosso eu temporário (a persona atual), ajudem as pessoas a encontrarem-se consigo mesmas e assumirem com mais confiança e determinação o objetivo final de todos nós: a evolução espiritual. Nada disso é novidade para os espíritas e para todos que acreditam na Reencarnação, mas agora essas questões estão sendo colocadas como uma psicoterapia.

A Psi­coterapia Reencarnacionista, uma psicologia baseada na Reencarnação, veio para ajudar a nos libertarmos das ilusões e das fantasias terrenas e a nos apegarmos firmemente aos aspectos realmen­te absolutos e eternos do nosso Caminho.

Agregando a Reencarnação à Psicologia cria-se uma nova Psicologia, baseada na nossa vida eterna, na nossa busca de evolução espiritual, de purificação. Não somos mais pessoas, somos Espíritos encarnados, não somos homens e mulheres, somos Espíritos em corpos masculinos e femininos, não somos brancos ou negros, somos Espíritos em “cascas” de cor diferente, não somos brasileiros, argentinos, americanos, iraquianos, somos Espíritos que encarnaram, dessa vez, nesses países. A Reencarnação, além da capacidade de expandir a Psicologia para o infinito, tem o potencial de eliminar o racismo, os preconceitos e a violência da face da Terra. Com a visão clarificada de que estamos em um local de passagem, com a finalidade de evoluirmos espiritualmente, as questões da vida terrena podem ser classificadas em dois grupos: importantes e sem importância, com graduações entre elas. Devemos ter a capacidade de perceber o que pode nos auxiliar em nossa Missão Pessoal e o que pode nos distrair dela. Mas, para isso, é de fundamental importância que cada um de nós saiba para o que reencarnou dessa vez. E isso não é tão difícil de perceber, basta enxergarmos nossas imperfeições e dificuldades, os conflitos com outras pessoas, nossas tendências negativas, enfim, tudo o que nos trás desconforto e nos tira a paz.
 

Algumas pessoas reencarnaram para lidar com questões morais, como tendências a roubar, enganar, mentir, trapacear, atributos de um Ego autônomo, míope, dissociado do seu Mestre Interior, outros reencarnaram para lidar com características pessoais que afetam mais a si mesmos, como a timidez, a mágoa, o medo, a introversão, algumas pessoas aqui estão para libertar-se da raiva, que faz mal a si e a outros. Cada um de nós está aqui, no Astral Inferior, para encontrar as suas inferioridades, que trás consigo há centenas ou milhares de anos, tendo passado por muitas encarnações em que sua atuação no sentido de evolução, de libertação, tem sido aquém do que poderia ter sido. Uma das finalidades da Psicoterapia Reencarnacionista é nos ajudar a melhor aproveitarmos as nossas encarnações, no sentido da busca da purificação, da nossa volta para o Todo.
 

O cuidado com nossos pensamentos, sentimentos e ações é de fundamental importância para o sucesso da nossa vida encarnada, individualmente e como psicoterapeuta reencarnacionista. Estamos lidando com questões espirituais, muitas vezes interferindo com seres poderosos cuja intenção é prejudicar a quem nos procura e a nós mesmos. Por isso, todo cuidado é pouco! A oração diária, a elevação dos nossos pensamentos aos Seres da Luz, a atitude humilde de colocar-se no lugar de serviçal dos nossos irmãos superiores, a postura de não enfrentamento aos seres de pouca Luz que nos acossam, entendendo-os, compreendendo sua atitude, motivada em traumas seus de muito tempo atrás, enxergando-os também como irmãos, como filhos de Deus, como companheiros de jornada, até porque não sabemos se em outras épocas não estávamos ao seu lado... Devemos nos colocar como representantes de Deus na Terra, como aliados do Mundo Superior nessa missão de purificação do nosso planeta, de clarificação, e procurar, a todo o momento, principalmente em situações conflituosas, atuar através do nosso Eu Superior, com Luz na nossa Consciência, Amor em nosso coração e Paz em nossos sentimentos.
 

Amorosamente

Jeane Godoy – (19) 9769-6175 e M Clara Melotto – (19) 9751-6760
 
 

“A Pressão Das  Mãos Faz Correr As Fontes Da Vida”
Psicoterapeuta
Trance e Integral Therapist
Meditação Orientada e Estudos da Consciência
Espaço Tempo de Cura

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

QUEIXAS E RESSENTIMENTOS - ECKHART TOLLE

Queixar-se é uma das estratégias  prediletas do ego para se fortalecer. Cada reclamação é uma pequena história que a mente cria e na qual acreditamos inteiramente. Não importa se ela é feita em voz alta ou apenas em pensamento. Alguns egos que talvez não tenham muito mais com o que se identificar sobrevivem apenas com queixas. Quando estamos presos a um ego assim, reclamar, sobretudo de alguém, é algo habitual e, é claro, inconsciente, o que mostra que não sabemos o que estamos fazendo. Uma atitude típica desse padrão é aplicar rótulos mentais negativos às pessoas, seja na frente delas ou, como é mais comum, falando sobre elas com alguém ou até mesmo apenas pensando nelas. Xingar é o modo mais rude de atribuir esses rótulos e de mostrar a necessidade que o ego tem de estar certo e triunfar sobre os outros: "idiota", "desgraçado", "prostituta", todas essas afirmações definitivas contra as quais não se pode argumentar. No nível seguinte, descendo pela escala da inconsciência, estão os gritos. Não muito abaixo disso, se encontra a violência física. 
O ressentimento é a emoção que acompanha a queixa e a rotulagem mental dos outros. Ele acrescenta ainda mais energia ao ego. Ressentir-se significa estar magoado, melindrado ou ofendido. Costumamos nos sentir assim em relação à cobiça das pessoas, à sua desonestidade, à sua falta de integridade, ao que estão fazendo no presente, ao que fizeram no passado, ao que disseram, ao que deixaram de dizer, à atitude que deviam ou não ter tomado. O ego adora isso. Em vez de detectarmos a inconsciência nos outros, nós a transformamos em sua identidade. Quem é o responsável por isso? Nossa própria inconsciência, o ego. Algumas vezes, a falta que apontamos em alguém nem mesmo existe. Ela pode ser um erro total de interpretação, uma projeção feita por uma mente condicionada a ver inimigos e a se considerar sempre certa ou superior. Em outras ocasiões, a falta pode ter ocorrido; contudo, se nos concentrarmos nela, às vezes excluindo todo o resto, nós a tornamos maior do que é. E dessa maneira fortalecemos em nós mesmos aquilo a que reagimos no outro. 

Não reagir ao ego das pessoas é uma das maneiras mais eficazes de não só superarmos nosso próprio ego como também de dissolver o ego humano coletivo. No entanto, só conseguimos nos abster de reagir quando somos capazes de reconhecer o comportamento de alguém como originário do ego, como uma expressão do distúrbio coletivo da espécie humana. Quando compreendemos que não se trata de nada pessoal, a compulsão para reagir desaparece. Não reagindo ao ego, muitas vezes podemos fazer aflorar a sanidade nos outros, que é a consciência não condicionada em oposição à consciência condicionada. Em determinadas ocasiões, talvez precisemos tomar providências práticas para nos proteger de pessoas profundamente inconscientes. Isso é algo que temos condições de fazer sem torná-las nossas inimigas. Nossa maior defesa, contudo, é sermos conscientes. Alguém passa a ser um inimigo quando personalizamos a inconsciência que é o ego. A não reação não é fraqueza, mas força. Outra palavra para a não reação é perdão. Perdoar é ver além, ou melhor, é enxergar através de algo. É ver, através do ego, a sanidade que há em cada ser humano como sua essência. 

O ego adora reclamar e se ressente não só de pessoas como de situações. O que podemos fazer com alguém também conseguimos fazer com uma circunstância: transformá-la num inimigo. Os pontos implícitos são sempre: "isso não deveria estar acontecendo", "não quero estar aqui", "estou agindo contra a minha vontade", "o tratamento que estou recebendo é injusto". E, é claro, o maior inimigo do ego acima de tudo isso é o momento presente, ou seja, a vida em si.  
Não confunda a queixa com a atitude de informar alguém de uma falha ou de uma deficiência para que elas possam ser sanadas. Além disso, abster-se de reclamar não corresponde necessariamente em tolerar algo de má qualidade nem um mal comportamento. Não há interferência do ego quando dizemos ao garçom que a comida está fria e precisa ser aquecida -  desde que nos atenhamos aos fatos, que são sempre neutros. "Como você se atreve a me servir uma sopa fria?" Isso é se queixar. Nessa situação, existe um "eu" que adora se sentir pessoalmente ofendido pela comida fria e ele aproveitará esse fato ao máximo, um "eu" que aprecia apontar o erro de alguém. A reclamação a que me refiro está a serviço do ego, e não da mudança. Algumas vezes fica óbvio que o ego não deseja que algo se modifique para que possa continuar se queixando.  
Veja se você consegue capturar, ou melhor, perceber, a voz na sua cabeça - talvez no exato instante em que ela esteja reclamando de algo - e reconhecê-la pelo que ela é: a voz do ego, não mais que um padrão mental condicionado, um pensamento. Sempre que a observar, compreenderá que você não é ela, e sim aquele que tem consciência dela. Na verdade, você é a consciência que está consciente da voz. Atrás, em segundo plano, está a consciência. À frente, se situa a voz, aquele que pensa. Dessa maneira você está se libertando do ego, livrando-se da mente não observada. No momento em que você se tornar consciente do ego, a rigor ele não mais será ego, e sim um velho padrão mental condicionado. O ego implica inconsciência. Ele e a consciência não podem coexistir. O velho padrão mental, ou hábito mental, pode sobreviver e se manifestar por um tempo porque tem o impulso de milhares de anos de inconsciência humana coletiva atrás de si. No entanto, toda vez que é reconhecido, ele se enfraquece.

                                                                                                       Do livro "Um novo mundo - o Despertar de uma nova consciência."

Uma excelente semana!
Maria Clara Melotto
&
Jeane Godoy


quinta-feira, 12 de setembro de 2013


Expressando Amor

As pessoas bloqueiam a expressão de amor que portam, divinamente, dentro do coração. Elas permitem que esses bloqueios impeçam a troca maravilhosa, que todos têm a capacidade de fazer e, assim, empobrecem essa grande riqueza que carregam dentro de si mesmas, dificultando a criação de elos que possam unir todos os seres.
São tantos os questionamentos, tantas são as reclamações, as tristezas plantadas no solo sagrado do coração e, com isso, coisas estranhas se instalam em suas vidas. Isso deve, sem dúvida, ser evitado.
Por isso, busque acender a luz da estrela divina que você, eu e todos nós somos.
O Amor Cósmico deve prevalecer. O despertar de nossas consciências deve acontecer já! Busque o discernimento e traga, com ele, todo amor que você puder, para unir ao seu amor interior, gerando assim, um estado de consciência permeado por um Amor Maior e fazendo de você um ser cheio de vida, pronto para receber as primaveras e os invernos da alma.
O importante é que você estará tranqüilo, sustentado pela força de um intenso amor, que viaja dentro de nós e que não pode ser tocado, não pode ser visto, mas pode ser sentido pelos canais da intuição.
Tenha certeza de que você tem uma força muito grande, que habita dentro do seu ser; você carrega em si mesmo parte do Todo que está em tudo.
 
As pessoas bloqueiam o canal de percepção das ondas de amor com suas emoções mal resolvidas dessa ou de outras vidas, muitas vezes bloqueadas por orgulhos, outras vezes por medos ou coração triste...
É paradoxal: coração com medo e, ao mesmo tempo, com tanto amor dentro...
É preciso retirar essa camada que impede o nosso coração de se expressar. Explore esse vasto poder divino que todos nós temos e, com isso, deixe o seu coração respirar, trocar, amar e, assim, fazer o brilho acontecer.
Tenha certeza de que, se você acreditar e buscar, as alegrias estarão presentes.
E mesmo nos momentos não tão felizes, você saberá agir com muita altivez, purificando suas energias pelo poder divino que está radiante dentro de você.
Muitas vezes, permitimo-nos abortar a própria felicidade, os próprios desejos, os próprios sentimentos mais sublimes e verdadeiros, aqueles que vêm do Todo e que nos contemplam, fazendo morada em nossos corações.
Não permita que o seu ego, travesso e arrogante, insista neste ato de podar tão bela flor, plantada por Deus, O Jardineiro do Amor Universal.
Lembre-se sempre: O amor prevalece, fortalece, enriquece, e permanece. Sempre!
O Amor é Tudo! O Amor é Cura!
 
P.S.: A espiritualidade não é somente um ponto de descanso, onde depositamos nossas angústias, nossas carências, para seguirmos adiante mais aliviados. A espiritualidade é o Todo, é um estado de consciência, é o ponto principal para viver e dar dignidade à alma.
Até onde você quer chegar?!
O que você busca?!
A solidão chega sem pedir licença e você a deixa instalar-se?
Fonte: Vitor Hugo França

Jeane Godoy – (19) 9769-6175 e M Clara Melotto – (19) 9751-6760
“A Pressão Das  Mãos Faz Correr As Fontes Da Vida”
Psicoterapeuta
Trance e Integral Therapist
Meditação Orientada e Estudos da Consciência
Espaço Tempo de Cura
 



segunda-feira, 2 de setembro de 2013


CIÊNCIA E ESPIRITUALIDADE.
 

A visão de Personalidades Científicas e Espiritualistas

Albert Einstein / 1878-1955 : “A ciencia sem a religião é paralítica e a religião sem a ciência é cega”.

Arthur  Schopenhauer/ Filosofo alemão/ 1788-1860 : “Se um asiático me perguntar por uma definição da Europa, serei forçado a responder-lhe do seguinte modo : É aquela parte do mundo perseguida pela incrível ilusão de que o homem foi criado do nada e que a sua existência atual  é a sua primeira entrada na vida.”

Benjamin Franklin/ 1706-1790 : “Aqui  jaz o corpo de Benjamin Franklin, impressor, semelhante à capa de um velho livro de páginas arrancadas, abandonadas ao léu, com seu título e seus dourados apagados. A obra não se perderá, pois, como ele acreditava, ela aparecerá uma vez mais em nova edição mais elegante, revisada e corrigida pelo autor.”

Bhagavad Gita/ 1500 A.C. : “Da mesma forma que nos desfazemos de uma roupa usada para pegar uma nova, assim a Alma se descarta de um corpo usado para se revestir de novos corpos.”

Chico Xavier / 1910-2002 : “Renascer... eis a vida, o progresso incessante, o eterno evoluir, eis a Lei do Criador! Eis do Mestre Jesus, como luz rutilante o ensino imortal no Evangelho do Amor. Renascer... Eis a Lei imutável, constante, pela qual nosso “ Eu” no cadinho da dor, em sublime ascensão pela luz deslumbrante, subirá para Deus, nosso Pai e Senhor...”

Cícero/ 106-43 a.C: “Outro forte indício de que os homens sabem a maioria das coisas antes do nascimento é que , quando crianças aprendem fatos com enorme rapidez, o que demonstra que não os estão aprendendo pela primeira vez, e sim os relembrando.”

Dalai Lama : “Se aceitamos a crença numa continuação da vida, a prática religiosa se torna uma necessidade que nada pode suplantar, para preparar sua encarnação futura... Seja qual for o nome dessa religião, o fato de compreende-la e pratica-la torna-se a base essencial de uma mente que está em Paz, portanto, de um mundo em Paz. Se não há Paz na mente, não pode haver Paz alguma no modo como uma pessoa se relaciona com as outras, e, por conseguinte, não pode haver relações entre os indivíduos ou entre as nações.”

Gabriel Delanne/ Cientista Frances/1857-1926: “A duração de uma vida é apenas um momento na Grande Evolução Eterna.”

George Harrison/ Musico/ 1943-2001 : “Amigos são todas as almas que conhecemos em vidas passadas. Somos atraídos uns para os outros. Mesmo que os tenhamos conhecido apenas por um dia, isso não importa, pois é possível que antes nos tenhamos encontrado nalgum lado.”

Henry Ford/ 1863-1947: “Os gênios são almas mais velhas.  Alguns pensam que se trata de uma benção ou de um talento, mas na verdade é o fruto de uma longa experiência em muitas vidas passadas.”

Henry David Thoreau/ Escritor norte –americano/1817-1862 : “Tanto quanto me lembro, nunca deixei de me referir inconscientemente a experiências de um estado prévio de existência.”

Hermann Hesse/Novelista e poeta alemão/ 1877-1962 : “Ele viu todas aquelas formas e faces em mil relacionamentos um com o outro... Nenhum deles morreu, eles apenas se transformaram, continuamente renasceram e obtiveram novas faces...”

Honoré de Balzac/ Escritor Frances/ 1799-1850 : “Todos os sere s humanos experimentaram vidas anteriores... quem sabe quantas formas físicas o herdeiro do Céu ocupa, antes que ele possa compreender  o valor daquele silencio e solidão, cuja as planícies estreladas são apenas a antecamara dos mundos espirituias.”

J. D. Salinger/ Escritor americano/1910 : “ O que fazes é sair do teu corpo quando morres. Todos fizemos isso milhares de vezes. Só porque não nos lembramos isso não significa que o não tenhamos feito.”

Jesus : ‘ Respondeu-lhe Jesus :  E verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.” João 3:3


Goethe/1749-1832 : “Estou certo de que estive aqui, como estou agora, mil vezes antes e espero retornar mil vezes... A alma do homem é como a água; Vem do Céu e sobe para o Céu, para depois voltar à Terra, em um eterno ir e vir.”

Khalil Gibran/ 1833-1931 : “ Breves  foram meus dias entre vós e mais breves ainda as palavras que pronunciei, mas se minha voz cessa em vossos ouvidos, se meu amor se apaga em vossa lembrança, eis que retornarei, e com um coração mais rico e lábios mais submissos, ao espirito falarei. Sim, voltarei com a maré e mesmo que a morte me oculte, que o maior dos silêncios me envolva, procurarei de novo  vossa compreensão... Sabei pois, que no maior silencio, retornarei... Não esqueçais que voltarei para vos... Um breve instante, e meu desejo recolherá o pó e a espuma para um outro corpo. Um breve instante, um momento de repouso no vento e uma outra mulher me trará ao mundo.”

Leonardo da Vinci/ 1452-1519 : “ Lê-me, leitor, se encontras prazer em ler-me, porque muito raramente voltarei a este mundo.”

Liev Tolstoli/ Escritor russo/ 1828-1910 : “ Assim como nos cruzamos por milhares de sonhos na vida presente, também a existência atual é apenas uma entre milhares de vidas para as quais entramos provenientes de uma outra vida mais real... E para a qual retornaremos após a morte.”

Mahatma Gandhi/ 1868-1948 : “ Não posso pensar em inimizade permanente entre homem e homem, e acreditando como acredito na teoria do renascimento, vivo na esperança de que se não nessa existência, mas em alguma outra, poderei abrir os braços a toda a humanidade, num amplexo amigo.”

Papos/1865-1916 : “ Como cem anos seriam suficientes para ganharmos a vitória final, foi necessário que um longo tempo nos fosse concedido, interrompido por intervalos de sono profundo, mais profundo que de nossos sonos de todos os dias. Alguns desses períodos de sono são chamados de morte. É verdade que cada existência é acompanhada pelo esquecimento das existências que a precederam, mas essa perda de memoria é providencial e facilita a evolução. Se nos lembrássemos das vidas anteriores, seria difícil mudar nosso plano de vida. Quando finalmente despertamos um numero  sufuciente  de vezes para atingirmos o objetivo de nossos esforços , que é a espiritualidade, morremos pela ultima vez e não mais voltamos a terra.”

Gauguin/ Pintor francês/ 1848-1903 : “ Quando o organismo físico falece, a alma sobrevive. Depois toma conta de outro corpo.”

Pitagoras/572-492 a.C : “ A alma nunca morre, mas recomeça uma nova vida, ela nada mais faz que mudar de domicilio, tomando uma outra forma. Quanto a mim que vos revelo estas misteriosas verdades, já foi Euforbes uma outra vida no tempo da Guerra de Troia, lembro-me perfeitamente bem do meu nome e dos meus pais, assim como do modo como fui morto em combate com o rei de Esparta. Em micenas, no templo Juno vi suspenso na parede meu próprio escudo de outro tempo, mas , embora vivendo em vários corpos, a Alma é sempre a mesma, pois só a forma muda.”

Platão/ 427-347 a.C : “ O tú, moço ou jovem que te julgas abandonado pelos Deuses, saiba que se tu tornares pior iras ter com as piores almas, ou, se melhor juntar-te as melhores almas, e em sucessão de vida e morte, faras e sofreras o que um igual pode merecidamente sofrer nas mãos  de iguais. Essa é a justiça dos céus.”

Plotino / 205-270 : “ Morrer é mudar de corpo como os atores mudam de roupa.”

Emerson /Poeta e ensaísta norte-americano/ 1803-1882 : “ A Alma entra num domicilio temporário e sai dele renovado... Passa para outras habitações porque a alma é imortal. Já não é segredo para o mundo que todas as coisas sobrevivem e não morrem, apenas se retiram temporariamente da vista para depois uma vez mais regressarem. Nada morre, os homens fingem que morrem e aguentam funerais ridículos e obituarios tristes, quando na verdade eles ali estão olhando através da janela com excelente aparência revestida apenas de um estranho disfarce.”

Socrates/Filosofo grego : “ Estou convencido que vivemos novamente e que os vivos emergem dos que morreram e que as almas que morreram estão vivas.”

Amorosamente

Jeane Godoy – (19) 9769-6175 e M Clara Melotto – (19) 9751-6760

“A Pressão Das  Mãos Faz Correr As Fontes Da Vida”
Psicoterapeuta
Trance e Integral Therapist
Meditação Orientada e Estudos da Consciência
Espaço Tempo de Cura