quarta-feira, 26 de junho de 2013


O MEDO DA LIBERDADE




Olhe uma rosa: ela é bela, mas não existe liberdade alguma de florescer ou não florescer. Não existe problema, não existe escolha. A flor não pode dizer, "Eu não quero florescer", ou "Eu me recuso". Ela nada tem a dizer, nenhuma liberdade. É por isso que a natureza é tão silenciosa (...).
Com o surgimento do homem, pela primeira vez aparece a liberdade. O homem tem a liberdade de ser ou não ser. Por outro lado, surge a angústia, o medo de que ele possa ou não ser capaz, medo do que vai acontecer. Existe um tremor profundo. Todo momento é um momento em suspense. Nada é seguro ou certo, nada é previsível com o homem: tudo é imprevisível.
Nós conversamos a respeito da liberdade, mas ninguém gosta de liberdade. Nós falamos sobre liberdade, mas criamos escravidão. Toda liberdade nossa é apenas uma troca de escravidão. Nós seguimos mudando de uma escravidão para outra, de um cativeiro para outro.
Ninguém gosta de liberdade porque liberdade cria medo. Com a liberdade você tem que decidir e escolher. Nós preferimos pedir a alguém ou a alguma coisa para nos dizer o que fazer – à sociedade, ao guru, às escrituras, à tradição, aos pais. Alguém deve nos dizer o que fazer: alguém deve mostrar o caminho, para que possamos seguir – mas nós não conseguimos nos mover por nós mesmos. A liberdade existe, mas existe o medo.
É por isso que existem tantas religiões. Não é por causa de Jesus, de Buda ou de Krishna. É por causa de um enraizado medo da liberdade. Você não consegue ser simplesmente um homem. Você tem que ser um hindu, um muçulmano ou um cristão. Apenas por ser um cristão, você perde a sua liberdade; sendo um hindu, você não é mais um homem – porque agora você diz, "eu seguirei uma tradição. Eu não vou caminhar no inexplorado, no desconhecido. Eu seguirei num caminho bem marcado com pegadas. Eu caminharei atrás de alguém; eu não seguirei sozinho. Eu sou um hindu, assim eu seguirei com uma multidão; eu não caminharei como um indivíduo. Se eu me mover como um indivíduo, sozinho, haverá liberdade. Então, a todo momento eu terei que decidir, eu terei que gerar a mim mesmo, a todo momento estarei criando a minha alma. E ninguém mais será responsável: somente eu serei o responsável final."
Nietzche disse ‘Deus está morto e o homem está totalmente livre.’ Se Deus está realmente morto, então o homem está totalmente livre. E o homem não tem tanto medo da morte de Deus: ele tem muito mais medo da sua liberdade. Se existe um Deus, então tudo está bem. Se não existe Deus, então você foi deixado totalmente livre – condenado a ser livre. Agora faça o que você gosta e sofra as consequências, e ninguém mais será responsável, só você.
Erich Fromm escreveu um livro chamado "O Medo da Liberdade". Você se apaixona e começa a pensar em casamento. O amor é uma liberdade; o casamento é uma escravidão. Mas é difícil encontrar uma pessoa que se apaixona e não pense imediatamente em casamento. Existe o medo porque o amor é uma liberdade. O casamento é uma coisa segura; nele não existe medo. O casamento é uma instituição – morta; o amor é um evento – vivo. Ele se move; ele pode mudar. O casamento nunca se move, nunca muda. Por causa disso o casamento tem uma certeza, uma segurança.
O amor não tem certeza nem segurança. O amor é inseguro. A qualquer momento ele pode sumir de vista da mesma forma como apareceu do nada. A qualquer momento ele pode desaparecer! Ele é muito sobrenatural; ele não tem raízes na terra. Ele é imprevisível. Por isso, "é melhor casar. Assim, fincamos raízes. Agora esse casamento não vai evaporar no nada. Ele é uma instituição!"
Em toda situação – exatamente como no amor –, quando encontramos liberdade, nós a transformamos em escravidão. E quanto mais cedo melhor! Assim nós podemos relaxar. Por isso, toda história de amor termina em casamento. "Eles se casaram e viveram felizes para sempre."
Ninguém está feliz, mas é bom terminar a história ali porque em seguida vai começar o inferno. Por isso toda história termina no momento mais bonito. E qual é esse momento? É quando a liberdade se torna escravidão! E isso não é apenas com o amor: isso é com tudo.
"Vivo" quer dizer que pode mover, pode mudar, pode ser diferente. Eu amo você; no próximo momento eu posso não amar. Mas se eu sou o seu marido, ou sua esposa, você pode ter a certeza de que no próximo momento eu também serei seu marido, ou sua esposa. Isso é uma instituição. Coisas mortas são muito permanentes; coisas vivas são momentâneas, mutáveis, estão num fluxo.
O homem tem medo de liberdade, mas a liberdade é a única coisa que faz de você um homem. Assim, nós somos suicidas – ao destruir nossa liberdade. E com essa destruição nós estamos destruindo toda nossa possibilidade de ser. Então você acha que ter é bom porque ter significa acumular coisas mortas. Você pode continuar acumulando; não existe um fim para isso. E quanto mais acumula, mais seguro você fica.
Eu digo que agora o homem tem que caminhar conscientemente. Com isso eu quero dizer que você tem que estar consciente de sua liberdade e também consciente de seu medo da liberdade.
Como usar essa liberdade? A religião nada mais é do que um esforço no sentido da evolução consciente, em saber como usar essa liberdade. O esforço de sua vontade agora é significativo. Qualquer coisa que você esteja fazendo não voluntariamente é apenas parte do passado na escala da evolução. O seu futuro depende de seus atos com vontade. Um ato muito simples feito com consciência, com vontade, dá a você um certo crescimento – ainda que seja um ato comum.
Por exemplo, você resolve jejuar, mas não porque você não tem comida. Você tem comida; você pode comê-la. Você tem fome; você pode comer. Você resolve jejuar: isso é um ato voluntário – um ato consciente. Nenhum animal pode fazer isso. Um animal jejua algumas vezes, quando não existe fome. Um animal terá que jejuar quando não existir alimento. Mas somente o homem pode jejuar quando existe ambos: a fome e o alimento. Isso é um ato voluntário. Você usa a sua liberdade. A fome não consegue incitar você. A fome não consegue empurrar você e o alimento não consegue puxar você.
Esse jejum é um ato de sua vontade, um ato consciente. Isso dará a você mais consciência. Você sentirá uma liberdade sutil: livre do alimento, livre da fome – na verdade, no fundo, livre do seu corpo, e ainda mais fundo, livre da natureza. A sua liberdade cresce e a sua consciência cresce.
Na medida que sua consciência cresce, a sua liberdade cresce. Elas são correlacionadas. Seja mais livre e você será mais consciente; seja mais consciente e você será mais livre.
                 Fonte:Osho,em The Ultimate Alchemyy
Via Instituto Osho Brasil
 
Que a liberdade se manifeste em nós...
Maria Clara Melotto
19-97516760
&
Jeane Godoy
19-97696175








 

terça-feira, 18 de junho de 2013


 

EFEITOS TERAPÊUTICOS  DA MASSAGEM

“A Pressão Das  Mãos Faz Correr As Fontes Da Vida".
A palavra “massagem” é derivada do grego “massein ” que quer dizer aproximadamente“amassar”, e que está relacionada ao latim “manus ”, mão.

Ela faz com que a matéria gasta se disperse, removendo assim a fadiga.
Observe os inúmeros efeitos da Massagem Terapeutica.

EFEITOS NA DOR:
A dor é um mecanismo protetor essencial à sobrevivência. A sensação dolorosa é transmitida do seus receptores pela  medula até ao tálamo, no cérebro. Depois vai para o córtex sensorial que localiza o problema.
Os receptores da dor são as terminações livres (pele, periósteo, paredes arteriais,...). A maior parte das fibras dolorosas pode ser excitada por tipos múltiplos de estímulos (frios, alongamento excessivo, calor,...). A fricção da pele estimula mecanorreceptores cutâneos que, ao receber estes sinais aferentes são capazes de bloquear a transmissão dos sinais nociceptivos (dolorosos). Este efeito é facilmente demonstrável, e a maioria das pessoas já o experimentou. Melzak e Wall (1965) desenvolveram a Teoria do Portal da Dor – haveria um mecanismo ou “portal” que limitaria o número de impulsos transmitidos pelal medula ao cérebro, em determinado momento. Os nervos transportadores da sensação de luz, toque e pressão enviam impulsos mais depressa do que os que tratam da informação dos receptores da dor. A teoria explica porque a massagem alivia a dor. Se esfregar o cotovelo, depois de ter batido com ele na porta ajuda a abrandar a dor, porque a sensação da fricção chega primeiro ao portal da medula. O portal fecha-se ao impulso da dor porque outro impulso, o da fricção, já está sendo recebido. Assim, a massagem como estímulo alternativo fecharia o portal a impulsos dolorosos. Além de distrair da dor, a massagem produz relaxamento, diminui a excitação e dá bem-estar.
 
 

EFEITOS PSICOLÓGICOS:
Relaxamento físico
Alívio da ansiedade e do stress
Estimulação da actividade física
Alívio da dor
Estímulo Sexual
Sensação geral de bem-estar
Aumento da auto-estima
Optimização da vitalidade
Ação harmonizante e reguladora

Muitos dos efeitos fisiológicos da massagem descritos anteriormente têm um componente  
Psicológico significativo. A atenção concentrada do Terapeuta para com o Paciente, combinada com a sensação física agradável, frequentemente estabelece uma relação de confiança, e o Paciente sente-se à vontade  para revelar os seus problemas, preocupações, e fatos  sobre sua saúde que ele pensava serem mínimos para contar ao médico.
Observem mais detalhadamente esses efeitos Psicológicos:

Relaxamento Físico
O conceito de relaxamento não é principalmente físico. É, na verdade, tanto fisiológico quanto psicológico. Para que os músculos relaxem é necessário um esforço consciente do paciente para "se soltar". Técnicas de massagem apropriadas podem contribuir para este processo. A massagem faz “respirar” corpo e mente – dá-lhes tempo para se relaxarem e descontraírem. Quem não se preocupa dorme melhor e  consegue viver a vida com mais equilíbrio, o que ajuda a enfrentar os problemas.

Alívio da Ansiedade e do Stress
Quando o indivíduo  reage a uma situação aflitiva, os músculos ficam tensos, a respiração acelera-se e os batimentos cardíacos aumentam. Sem atividade intensa para eliminar o stress, o organismo sofre, surgindo irritabilidade, fadiga, insonias, depressão, dores nas costas, cefaleias, ansiedade, indigestão e tensão alta. À medida que a massagem promove relaxamento, também ajuda a reduzir a ansiedade e tensão, porque permite um desligamento psicológico dos problemas diários. Para diminuir a ansiedade, a massagem é melhor que a maior parte das atividades físicas. Em1988 investigadores na North Texas State University, EUA, compararam os efeitos relaxantes de vários desportos com 30 minutos de massagem.

Estimulação da Atividade Física
Certas técnicas de massagem são bastante estimulantes, produzindo uma forte sensação de revigoramento.

Alívio da Dor
A percepção da dor é em grande  parte um conceito psicológico. Tem importantes substratos fisiológicos, mas há necessidade da mente consciente para que haja percepção da dor.

Estímulo Sexual
É tanto um processo psicológico, como físico: a estimulação sexual ocorre na mente. Certamente, a estimulação periférica ajuda, mas todo o processo não é apenas uma simples ação reflexa.

Sensação Geral de Bem-estar
 indícios cada vez maiores de  que a saúde  física e mental são inseparáveis e de que a massagem acalma o espírito, ao relaxar o corpo. Alivia o esforço de uma atenção constante  induzindo uma sensação de bem-estar no paciente. Um estudo de Weinberg & Kolodny (1988) investigou a relação entre o exercício, a massagem e o aumento da disposição. Os pesquisadores concluíram que a massagem relacionou-se consistentemente ao aumento de humor positivo transitório e ao bem-estar psicológico.

Aumento da Auto-Estima
A massagem ajuda também a combater a depressão.  Muita gente concordará com este testemunho: “ A massagem fortaleceu-me a confiança e deu-me o apoio que precisava. É formidável ser tocada, acarinhada e sentir-me valorizada. Levou-me a interessar-me outra vez por mim mesma.”

Fé Generalizada na Deposição das Mãos
A ideia de que a Cura pode ser facilitada pelo toque no paciente é, certamente, muito antiga e comum a muitas culturas antigas. Se o ato de tocar uma pessoa faz com que esta pessoa acredite que irá ocorrer a cura, então não é demasiadamente difícil imaginar que a cura poderá,de fato, ocorrer.

Otimização da Vitalidade
Os pacientes afirmam que depois de uma massagem se sentem mais otimistas, tranquilos e revitalizados. Só o prazer da massagem pode ser por si só um fator de proteção, ajudando-nos a  “vacinar” contra as doenças.  Sgundo o Dr. Warburton, Diretor de Psicofarmacologia na Reading University, Inglaterra “acontecimentos agradáveis têm um efeito protetor que dura dias”. Nos EUA, investigadores avaliando a função imunitária, concluiram que pessoas com boa disposição são mais saudáveis do que as outras.
 
 

EFEITOS MECÂNICOS:
linfa;
sangue venoso;
secreções pulmonares;
edema;
conteúdo intestinal;

EFEITOS FISIOLÓGICOS:
Aumento da circulação sanguínea e linfática;
Resolução do edema e hematoma crônicos;
Aumento do fluxo de nutrientes;
Remoção dos produtos catabólicos e metabólicos;
Facilitação da atividade muscular;
Estimulação do processo de cicatrização;
Aumento dos movimentos das articulações;
Sono retemperador;
Estimulação das funções autônomas;
Alívio da dor;
Estimulação das funções viscerais;
Remoção das secreções pulmonares;
Aumento da temperatura periférica da pele
Mobilização da pele e dos tecidos subcutâneos
Aumento da flexibilidade do tecido conjuntivo;
Estímulo sexual;
Promoção do relaxamento local e geral.

Fonte:  Instituto de Naturologia - Maria Sofia Fonseca Santos
 

Amorosamente
Jeane Godoy – (19) 9769-6175 e M Clara Melotto – (19) 9751-6760

Espaço Tempo de Cura

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Feijão branco – Faseolamina – proteína que ajuda a emagrecer
 
 
 
Pesquisas recentes descobriram um composto presente no feijão branco que ajuda a emagrecer e reduzir os níveis de triglicerídos do sangue.
O feijão branco possui uma proteína de reserva chamada de faseolamina. Quando ingerida, ela inibe a digestão do carboidrato e retarda a absorção de açúcares no sangue.
Porém a faseolamina só possui este efeito quando consumida em forma de farinha. Para isso lave o feijão normalmente e depois seque-o no sol ou sobre um papel toalha, nunca seque no forno. Depois de seco, triture o feijão num liquidificador e peneire. Pode ser passado no processador para conseguir uma consistência mais fina.
Para evitar acidentes em seu liquidificador, é importante triturar pelo menos 250 gramas de feijão branco (meio pacote) de cada vez, assim o impacto dos grãos no copo do liquidificador é menor. Evite guardar grandes quantidades do grão por muito tempo para não perder as propriedades nutricionais.
A receita é consumir uma colher de chá diluída em um copo de água, 30 minutos antes das principais refeições (duas vezes por dia). O máximo que você pode consumir é até 1 grama por dia, além disso podera provocar efeitos colaterias como diarréia e náuseas. Você pode misturar a farinha do feijão em um copo de suco também.
A faseolamina irá evitar a absorção do carboidrato e reduzir o nível de triglicerídeos.
Você poderá utilizar o farelo que ficou na peneira para preparar pães nutritivos.
                                                     fonte:Francine Schmidt – Nutricionista 

 
 Saúde e Paz,
Espaço Tempo de Cura
 
 
Maria Clara Melotto
&
Jeane Godoy 

"Só há uma Religião, a Religião do Amor;
Só há uma Casta, a Casta da Humanidade;
Só há uma Linguagem, a Linguagem do Coração;
Só há um Deus, e Ele é Onipresente."

Sathya Sai Baba